10 apostas musicais para 2017

10 apostas musicais para 2017

Valorizar o trabalho de artistas independentes é a principal forma de fortalecer a nossa cena musical. Aqui na La Otra, a gente ouve, acompanha de perto e indica os novos talentos que estão vindo com tudo e garantindo lugares cativos na sua playlist!

Preparamos, com muito carinho, uma lista especial com as nossas 10 apostas para 2017. São artistas e bandas de BH  prontinhos para ganhar o mundo. Saiba quem anda fazendo nossa cabeça e ganhando nosso coração.  Conheça agora nossa seleção e escute nossa playlist no Spotify!

Deh Mussulini

Sabe a sensação de música que dança dentro da gente? É assim que a gente sente ao ouvir Varanda Aberta, o primeiro disco da Deh Mussulini.

Com acompanhamento impecável do violão de Lucas Telles, a mineira esbanja talento e muita emoção em 11 faixas inéditas. A qualidade técnica e artística do álbum é indiscutível e arranca da gente sorrisos e suspiros de encantamento.

A potência da voz e a sensibilidade da interpretação de Deh impressiona. Dá para sentir nos ouvidos a força e a coragem do universo de canções que ela canta, sílaba a sílaba. Nota a nota.

Não por acaso, Mussulini transborda lirismo ao cantar as questões de gênero: é que Deh é uma das idealizadoras do coletivo A.N.A., que empodera e dá voz às compositoras e cantoras de Belo Horizonte. Ativista, ela também trabalha no Coletivo de Mulheres Criando e na Sonora - Ciclo Internacional de Compositoras.

Siso

"Deus me livre de ser um homem se for pra ser um bicho vulgar". A linha de abertura de "Homem" é a síntese de tudo que Siso não é. Muito pelo contrário, ele é complexo, cheio de nuances e toda a sensibilidade que poderia existir.

Persona do artísta híbrido pluritalentoso David Dines, Siso nos envolve canções dançantes e recheadas pelos sintetizadores criativos do multi instrumentista Christopher Mathi, que enchem os ouvidos de vontade de ouvir mais. Com composições reflexivas e críticas, o artista quebra as expectativas do que é escutar música pop e nos brinda com um álbum cheio de fibra e delicadeza.

David nasceu na cena independente de Belo Horizonte, mas foi em São Paulo que se descobriu Siso. Hoje explora os limites artísticos de perfomance e criação de forma única e cativante. A melhor notícia? Vem álbum novo esse ano.

Confeitaria

Quem gosta de música instrumental precisa conhecer Confeitaria. O duo faz um rock experimental intenso e audaz. E foi com essa intensidade minimalista que o álbum Enero nasceu em meio às montanhas geladas da Patagônia.

São três composições que nos tomam de assalto e nos empurram para dentro de cada nota, numa experiência quase sinestésica. As canções são ricas, com pegada marcante e nos envolvem completamente.

Ouvir Confeitaria é uma experiência que transcende as palavras - é preciso conferir nos seus próprios fones para entender a sobreposição de adjetivos, ritmos e riffs. Esse duo fascinante também é uma das nossas apostas mineiras para explodir 2017.

Flávia Ellen

Todo mineiro sabe que trem é um universo de possibilidades. E Flávia Ellen nos presenteou com um trem de primeira que é seu primeiro disco, que recebe o nome da cantora.

O álbum é uma materialização de bom gosto e qualidade musical, com pitadas de romantismo nas composições autorais da violonista. Dá pra fechar os olhos e viajar pelos encontros suaves de samba, pop, mpb, jazz e muitas outras influências cantadas num timbre que descompassa qualquer coração.

Além da delicadeza da voz e violão de Flávia, o CD tem participação de Clayton Neri, comandando arranjos, violão, guitarra e direção musical, Chico Amaral no sax da canção Arabesco, Manasses Morais no contrabaixo, Elton Brandi na flauta e sax, Daniel Brandi no piano e Léo Lana na bateria.

A verdade é que Flávia Ellen comove, tanto com seu trabalho nos palcos quanto fora deles. Ela também integra o Coletivo Mulheres Criando e fortalece o trabalho das compositoras mineiras.

É por isso que a gente aposta alto na carreira promissora dessa mineira e incluiu ela na nossa playlist Made in BH!

Djambê

Há quem diga que a principal função da arte é questionar. E é com muita poesia e musicalidade que o pessoal do Djambê questiona e cativa nossos ouvidos.

A estrada da banda é longa, marcada por referências diversas, espírito crítico e muitos prêmios que coroam o trabalho único. E é nessa encruzilhada vibrante que se encontram as influências de percussão africana com o peso do rock - um som revigorante batizado pela banda de Rock-macumba.

E é nessa vibração de energia e reflexão que Emílio Dragão, Priscilla Glenda, Bruno Guinu, Mayra Motta, Flávio Charchar e Júnior Caban constroem música de qualidade fina e integram a nossa lista de artistas mineiros que merecem toda nossa atenção e muitos aplausos.

Fernanda Branco Polse

Imagine deslizar suavemente em notas de brasilidade, trip hop e sensualidade que transborda. É assim o retrato musical de Fernanda Branco Polse, a artista multitalentosa que lançou “Bicho Branco Polse” no fim do ano passado.

As faixas afrontam padrões com muito lirismo e sonoridade marcante. O álbum é pulsante, vivo e indescritivelmente íntimo - é um verdadeiro relato do que é o desejo, o amor e a liberdade.

Fernanda Branco Polse, além de cantora e compositora, é artista visual, de trabalhos que contestam e instigam a imaginação e as expectativas. Vale a pena conferir e apostar que em 2017 vai haver ainda mais espaço para talento.

Minimalista

Das gratas surpresas que a cena de BH ofereceu aos ouvidos mineiros, Minimalista merece destaque. A suavidade da voz de Thales Silva com arranjos fortes resulta em um romantismo lúdico.

As onze faixas que compõe o disco homônimo são delicadas e cheias de referências da música nacional que apontam para uma identidade musical única, arejada e inspiradora.

Certamente, as razões para acreditar que Minimalista vai ganhar as paradas em 2017 não caberiam em palavras. Sorte a nossa, que assistiremos essa ascensão.

Dolores 602

Dolores 602 é um rock'n'roll com pegada folk marcante e muita brasilidade. O equilíbrio entre a doçura e a força vibram em cada canção, levando o ouvinte a explorar novos horizontes possíveis na música.

O quarteto é formado por Débora Ventura na voz e violão, Táskia Ferraz nas guitarras, Camila Menezes no contrabaixo e Isabella Figueira na bateria. Em 2014, a banda lançou o primeiro EP, com influências que iam muito além do som pesado com que a Dolores começou a se apresentar na cena mineira. O resultado é uma mistura única, com muita personalidade e assinatura inconfundível.

É por esse som fantástico que incluímos as meninas nas nossas apostas certeiras para 2017. Vem ouvir!

Douglas Din

Na cena de BH, vale ressaltar o espaço que o hip hop ganhou desde a criação do "Duelo de MCs", em 2007. O projeto que ocupa o Viaduto Santa Tereza e apresenta talentos do rap em batalhas de rimas deu voz a nomes que representam a cara do movimento. Douglas Din, ou Din, é um desses MCs que ganhou lugar cativo entre os vencedores do duelo e expandiu os horizontes musicais nos últimos tempos.

Compositor versátil, ele mantém em suas canções a mesma habilidade do freestyle, tratando de temas fundamentais, sobre o cotidiano do MC. Versando sobre questões diversas, quem ouve Din percebe suas influências do rap nacional, com forte apelo político e social.

Seu primeiro álbum, “Causa Mor” é impecável, com beats ousados de DJ Cost e Coyote Beatz, produção de Sérgio Giffoni e participação mais que especial dos MCs Well, Leozin, Vinicin e do coletivo Família de Rua.

O último lançamento foi o single “Preto”, lançado no fim de 2016, com muita personalidade ao falar da luta pelos direitos da população negra do país e do mundo. Aos 25 anos, Douglas Din já escreveu seu nome na cena de Belo Horizonte e é uma aposta certeira para 2017.

Teach me Tiger

A atmosfera muda: é como se o cômodo estivesse à meia luz, e tudo ganhasse um pouco de tons de vermelho, quando o duo Teach Me Tiger começa a tocar. Os sintetizadores combinados com os vocais delicados mas potentes fazem a gente se mexer na cadeira sem nem ao menos se dar conta do que faz.

Teach Me Tiger é formado pelo belga Yannick Falisse e pela paulistana Chris Martin. Mas foi em Belo Horizonte que nasceram as canções que nos chegam como um instinto; um trip-hop avassalador, que dança pelo dream pop, toma conta de todos os nossos sentidos e nos inebria.

A dupla faz um som contemporâneo, globalizado, que combina todos os elementos de forma harmônica e garante o seu lugar entre as nossas apostas para esse ano.

Sobre o Autor

La Otra

Soluções criativas no ecossistema musical

comentários

  1. João das Neves
    21 de março de 2017 em 13:17
    Resposta

    Mais uma lista lixo recheada de promessas que nunca se tornam realidade, midia amiga em ação na árdua tarefa de enfiar falsos talentos guela abaixo. A modinha modinha sempre será essa enquanto quem rala de verdade se fu pois não ficam na bebedeira ou no troca troca com funcionários dessa falsidade todas. Quero ver quem chega mesmo.

    • admin
      21 de março de 2017 em 13:40
      Resposta

      Olá, João, tudo bem?

      Em primeiro lugar, agradecemos sua atenção em entrar em contato conosco. Sentimos muito pela sua avaliação negativa e gostaríamos de entender melhor a sua crítica.

      Não houve qualquer tipo de favorecimento pessoal aos indicados, acredite – até porque a lista de amigos queridos e cheios de talento na música é infinta. A nossa lista de apostas foi feita baseada no que acreditamos como promissor do mercado atual de música: aqueles artistas que já consolidaram um público fiel no nosso circuito depois de muito trabalho e estão caminhando em direção à cena nacional.

      É claro que isso não invalida de nenhuma forma o trabalho de outros artistas que não foram incluídos nas nossas apostas – afinal essa é só a nossa primeira lista. Muito pelo contrário, apoiamos e trabalhamos duro para que o talento desses músicos independentes consiga bases sólidas para ganhar o público com sua arte, assim como fizeram os nossos dez escolhidos para essa lista em especial.

      Caso você queira sugerir algum artista para as nossas próximas listas, teremos o maior prazer em conhecer! Obrigada por nos acompanhar!

      Abraços.

Deixe seu comentário