Playlists do Spotify: como conseguir entrar?

Playlists do Spotify: como conseguir entrar?

Estar nas playlists do Spotify é o desejo atual da maioria (para não dizer todos) os artistas e bandas. Parece a receita do sucesso quando de repente sua música aparece em listas como “Novidades da Semana”, “Radar”, entre outras. De repente seu canal de Youtube começa a bombar, seu número de seguidores aumenta instantaneamente e todos os contratantes querem o seu show. Fácil, né? #SQN

Antes, o sonho era ter sua música na rádio custasse o que custasse, torcer para o público gostar, pedir, repetir e ir chegando de ouvindo em ouvido até entrar na programação. Agora, a ideia mudou de plataforma mas continua tirando o sono dos artistas que só querem chegar a todo mundo, né? Então, agora eu vou te contar como funciona essa história de playlists para que você tenha seus pés no chão e trabalhe da maneira (real) correta.

Foto: Pixabay

Pra começar é importante entender que o Spotify tem um sistema de níveis parecido ao da rádio convencional, um modelo pirâmide em que os maiores artistas vão diretamente ao nível mais alto definido pela popularidade.  Ou seja, para estar nos TOP 10, ou TOP 100 você realmente precisa estar sendo ouvido por muiiiiiita gente.

Um novo artista pode sim aparecer em playlists de novas descobertas, e de acordo com a reação dos ouvintes, passar a um novo estágio e ser incluído em centenas de playlists diferentes. O trabalho complexo do Spotify é parte feita por algoritmos automáticos e outra parte pelo trabalho de editores que entendem profundamente do mercado musical. As playlists incluem novos hits, mas também seguem tendências de Shazam, de blogs, redes sociais e qualquer outro aplicativo musical.

Uma combinação de estratégias

Resumindo, sua música pode se destacar em uma playlist, mas não existe um hit no Spotify que aconteça apenas ali. O sucesso é o conjunto de um trabalho reconhecido em todas as plataformas digitais e também off-line. Os editores de playlists, por exemplo, estão nos festivais e principais eventos musicais conhecendo novos artistas e sabendo quais são as promessas.

Se a sua música tem pouca ou nenhuma reprodução, será mais difícil para os editores acharem que sua música fará sucesso em uma lista. Por outro lado, se você tem 1000 reproduções ou mais, todos os ouvintes escutam a canção toda, muita gente adiciona sua música em listas pessoais e voltam a escutar, existe a chance de chamar a atenção para seu trabalho.

Na hora de lançar sua música, tenha todo o marketing planejado para que a notícia chegue aos ouvidos dos veículos de comunicação, numa combinação de estratégias online e off-line.  Também é importante levar em conta que, além de gravadoras e distribuidoras, muitos blogueiros e influencers fazem recomendações para o Spotify, ou seja, em sua estratégia pense como chegar até esses criadores de tendências.

Aproveite e veja as 3 tendências do Marketing Musical para fazer a diferença!

Sobre o Autor

Nathy Faria

"Nathy Faria é emprendedora à frente da La Otra (Agência de soluções criativas no ecossistema musical), cantora e compositora, com formação em jornalismo (UNI-BH, Brasil), música (Universidad de Évora - Portugal), mestrado em Economia Criativa y Gestão Cultural (Universidad Rey Juan Carlos - Espanha). Ao longo de 15 anos na música e sua experiência internacional, a artista participa de feiras internacionais como FIM (Guadalajara, MX), Midem (Cannes, FR), Porto Musical (Brasil), entre outras. Atualmente, mora em Madrid onde desenvolveu uma metodologia exclusiva de coaching para empreendimentos criativos e musiciais e acaba de ganhar um prêmio de inovação pela "Factoria Cultural" com a plataforma da La Otra.

Deixe seu comentário